Certa vez ouvi de um profissional de TI a seguinte frase:

“- Esses modelos de governança de TI como ITIL, por exemplo, servem apenas para burocratizar as atividades na empresa. Uma infinidade de processos que na prática, não ajudam, mas apenas engessam e limitam as atividades dos profissionais que lidam no dia a dia com os clientes.”

Essa é uma típica frase de alguém que tem um conhecimento superficial sobre a Governança de TI, e por ter lido alguns artigos, achasse apto a julgar se um modelo de governança é eficaz. Note que uso o termo “modelo” e não “metodologia”. É isso mesmo. Modelos como ITIL e COBIT, por exemplo, não são uma metodologia, mas sim  modelos de boas práticas, que podem ser adaptados a realidade das empresas. Eles não dizem exatamente o passo a passo que deve ser feito para implementar um modelo de governança, mas sugerem boas práticas que são utilizadas hoje por várias empresas, que buscam alcançar um maior nível de maturidade em seus processos.

Hoje em boa parte das empresas os processos são estruturados e procedimentos similares são seguidos por diferentes indivíduos para a mesma tarefa. Todavia há forte dependência do conhecimento individual e existe alguma documentação, mas via de regra os processos são reativos. Ou seja, “acende-se a fogueira de manhã para apagar à tarde”.

Pouquíssimas empresas obtém o nível de maturidade otimizado onde os processos foram refinados até alcançar as melhores práticas, com base no resultado de melhoria contínua e comparações com outras organizações. Nesse cenário a TI é usada para automatizar os fluxos de trabalho, provendo ferramentas para aumentar a qualidade e efetividade dos processos.

Acredito que no cenário atual, de alta competitividade, as empresas que não estruturarem seus processos internos, buscando definir um modelo de gestão eficaz tendem a ficar para traz. A adoção das boas práticas definidas nos modelos atuais de governança não é mais uma escolha, mas uma necessidade para que as empresas consigam ser competitivas, oferendo serviços de qualidade a um menor custo e tempo possíveis.

Por que adotar um modelo de governança de TI?

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*